Orange Is The New Black: um mosaico de identidades

Tancy, Costa Mavignier, Nathália Cunha da Silva, Fabiola Paes de Almeida Tarapanoff

Resumo


Percebe-se um aumento de protagonistas femininas nas produções audiovisuais. Somado a esse fato novas histórias baseadas em personagens complexos surgem nas séries produzidas pelo Netflix, pensadas para diferentes públicos. Esse artigo pretende descobrir de que forma as personagens femininas na série Orange is the new black subvertem as identidades. Desse modo, deseja-se perceber de que modo a sexualidade atravessa as diferentes identidades étnicas e sociais, focando nas personagens Piper, Boo, Sophia, Taystee e Poussay. Utiliza-se como metodologia a análise das três temporadas da série à luz dos conceitos da subversão das identidades de Judith Butler, da mídia como retrato da sociedade de Douglas Kellner, identidades na pós-modernidade de Stuart Hall e personagem esférico de Edward Morgan Foster.

Palavras-chave


Séries; Identidade; Gênero

Texto completo:

PDF