Utopia, heterotopia e nostalgia na performance dublada de música pop

Alan Mangabeira Mascarenhas

Resumo


Refletir fãs no cenário atual traz à tona uma visão antropológica de uma experiência estética que parece destacar a nostalgia dos consumidores da narrativa do ídolo. Neste trabalho, partimos da hipótese de que é a nostalgia um dos principais elos que mantém um fandom de música pop através da narrativa de seu ídolo no palco e fora dele. Propomos uma análise do show-fixo, que aqui chamamos de “monumento”, o “Piece of Me”, no qual a performer Britney Spears rememora momentos de sua carreira no teatro do Planet Hollywood em Las Vegas fazendo uso de dublagem em todo o show e artefatos corporais para simular sua aparência e voz de outrora numa cidade quase fantasma. Questionamos, então, como se dá a construção narrativa do espaço de pertencimento na música pop capaz de gerar nostalgia através dos conceitos de utopia e heterotopia (Foucault), a noção de “lar” (Boym).


Palavras-chave


1. Foucault. 3.Narrativa 4. Britney Spears

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/vd.v15n02.p%25p