Transmídia Voraz: considerações sobre o fandom na contemporaneidade.

Ana Carolina Almeida Souza

Resumo


Possuidores dos mais diversos interesses e entusiastas, os fãs fazem parte da história da cultura das franquias de entretenimento. Além de serem foco de comunicações específicas, eles também ganharam espaço como coprodutores de conteúdos, o que se intensificou com as redes sociais digitais e a internet mobile, de modo que eles ultrapassam as denominações de consumidor, usuário, espectador, comprador e até admirador. Tendo esses pressupostos, este artigo discute o papel do fã dentro do sistema midiático contemporâneo de franquias que se utilizam da produção flexível e do afeto como promotores de uma experiência de pertencimento àquele discurso. Para tal, buscaremos como exemplo o evento ConTribute, que foi uma ação desenvolvida pela franquia ‘Jogos Vorazes’[1], direcionada ao seu fandom.

[1] Sempre que falamos do primeiro livro da franquia e do seu primeiro filme, serão utilizadas aspas duplas (“). Quando estivermos nos referindo à franquia, utilizaremos aspas simples (‘).


Palavras-chave


fandom; transmídia; Jogos Vorazes

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14210/vd.v15n02.p%25p